Imunidade e a saúde mental!

Tempo de leitura: 4 minutos

Imunidade e a saúde mental!
Imunidade e a saúde mental!


A relação da imunidade com a saúde mental é foco do nosso blog de hoje! Um quarto dos jovens entre 18 e 24 anos considerou seriamente o suicídio nos últimos 30 dias. Os dados são de agosto de 2020 e vieram do Departamento de Saúde e Serviços Humanos/Centro para o Controle prevenção de Doenças dos EUA.

Ainda segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa morre vítima de suicídio no mundo, totalizando uma média de 800 mil por ano. Estudos indicam que cada caso de suicídio tem sério impacto na vida de pelo menos outras seis pessoas de forma direta.  

No Brasil, são registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos, a maioria associados a transtornos mentais. O assunto é cercado de tabus e, por isso, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP e o Federal de Medicina – CFM, organizam nacionalmente o Setembro Amarelo desde 2014, com o objetivo de prevenir e reduzir estes números.

O assunto torna-se especialmente importante de ser discutido em épocas de pandemia e isolamento social, o que pode gerar bastante estresse e afetar profundamente a saúde mental de todos, ou agravar quadros já pré-existentes.

Fatores de risco

Os transtornos mais comumente associados ao suicídio são depressão, transtorno bipolar, dependência de álcool e outras drogas psicoativas. O risco é ainda maior quando há interação entre dois ou mais desses fatores, como depressão e alcoolismo. 

Conheça os principais fatores de risco:

– abuso sexual na infância

– alta recente de internação psiquiatrica

– doenças incapacitantes

– impulsividade/agressividade

– isolamento social

– tentativa prévia

– doenças mentais

– uso de álcool e drogas

Isso não significa que toda pessoa que comete suicídio tem uma doença mental, ou que toda pessoa com transtornos vá se suicidar, mas é um importante fator de risco. Mas, muitas vezes, os transtornos mentais não são detectados ou tratados de forma adequada.

Mente e Corpo

Recentemente, tem surgido toda uma área de conhecimento dedicada a pesquisar a relação entre mente e corpo. A psiconeuroimunologia tem encontrado mais e mais evidências científicas de que a imunidade é altamente afetada pela saúde mental e vice-versa.

De forma simplificada, pode-se dizer que situações de constante ansiedade e estresse ou mesmo de depressão fazem com que o Sistema Nervoso Central libere alguns hormônios na corrente sanguínea, e o excesso desses hormônios pode prejudicar o funcionamento do nosso sistema de defesa.

Com a imunidade baixa, o corpo fica mais suscetível a ser afetado por vírus, bactérias e outros micróbios causadores de doenças infecciosas. Por isso, manter o sistema imunológico em dia, com vacinas e hábitos saudáveis, é tão importante!

Prevenção

Pode-se dizer, portanto, que entre os fatores protetivos para a prevenção de doenças mentais e, consequentemente, do suicídio está a manutenção de um bom sistema imunológico, exercícios físicos e boa alimentação.

Conheça outros fatores protetivos:

– autoestima elevada

– bom suporte familiar

– capacidade de adaptação positiva

– laços sociais bem estabelecidos com amigos e familiares

– resolução de problemas

– emprego

– relação terapeutica positiva

– ter sentido existencial

– senso de responsabilidade

– ter crianças em casa

– realização de pré-natal

– ausência de doença mental

Toda pessoa tem alguns fatores protetivos e alguns de risco, mas você pode tentar reduzir os fatores de risco com as seguintes medidas:

– manter a imunidade alta com exercícios, boa alimentação e vacinação em dia

– iniciar atividades prazerosas ou com significado, como trabalho voluntário e/ou hobbies

– reduzir ou evitar uso de álcool e outras drogas

– buscar e seguir tratamento adequado para uma doença mental

– aumentar o contato com familiares e amigos

– falar abertamente sobre os problemas e desafios enfrentados

Peça ajuda

A ajuda pode vir de um amigo, parente, colega de trabalho ou escola, professores, ou alguém que está próximo a quem precisa e também dos voluntários do CVV, que são treinados para conversar com pessoas que estejam passando por alguma dificuldade e que possam pensar em tirar sua vida.

Para conversar com um voluntário, basta ligar para o telefone 188, gratuito, que funciona 24 horas. Também é possível mandar um e-mail ou falar pelo chat, que podem ser acessados pelo site www.cvv.org.br

fonte : https://brasil.un.org/pt-br/88989-oms-pede-aumento-macico-nos-investimentos-em-saude-mental

https://socesp.org.br/publico/qualidade-de-vida/psicologia/dicas/imunidade-e-saude-mental/

www.cdc.gov

https://www.who.int/eportuguese/countries/bra/pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *