Meningite: conheça os principais tipos, sintomas e prevenção

Tempo de leitura: 4 minutos

Vacinação de meningite ACWY e B!
Meningite ACWY e B: vacinação

A meningite é uma das doenças mais preocupantes durante a infância. Isso porque as crianças de até 5 anos são as principais vítimas dessa doença inflamatória que afeta as membranas da medula espinal e do cérebro. Em 2018, o Ministério da Saúde contabilizou mais de 3 mil mortes causadas pela doença, de um total de 15.706 casos no ano.

Apesar da maior parte das mortes serem de crianças, quem mais transmite a doença são os adolescentes, e a infecção em adultos, apesar de rara, também ocorre. Isso porque é comum as doses de reforço das vacinas disponíveis serem esquecidas e a imunização ficar incompleta. Em 2018, o índice de adolescentes que não haviam tomado o reforço da vacina chegou a 40%!

O que causa meningite?

A meningite pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos. No caso da meningite viral, que é mais comum, o tratamento muitas vezes é dispensado pelo médico, já que o vírus costuma ir embora do organismo por conta própria dentro de um período de 10 dias a duas semanas. A meningite fúngica é muito rara e atinge normalmente pacientes portadores de HIV e câncer.

Já quando é uma bactéria que causa a doença, o quadro é mais grave, apesar de ser mais raro. A meningite pode ser causada por diversas bactérias, entre elas:

  • Neisseria meningitidis (meningococo)
  • Streptococcus pneumoniae (pneumococo)
  • Haemophilus influenzae
  • Mycobacterium tuberculosis
  • Streptococcus sp. B
  • Listeria monocytogenes
  • Escherichia coli
  • Troponema pallidum

Meningites meningocócicas e transmissão

O meningococo é a bactéria responsável pelos tipos mais graves de meningite. A letalidade da meningite meningocócica no Brasil é cerca de 20%, mesmo nos melhores centros hospitalares. Entre os sobreviventes, 2 em cada 10 convivem com sequelas, como surdez, paralisia ou amputação de membros.

Existem diversos sorogrupos diferentes do meningococo, e no país os mais comumente encontrados são dos tipos A, B, C, W e Y. Cada tipo de bactéria pode causar uma infecção de gravidade diferente, e sua incidência varia conforme a região do país.

Ela é transmitida através de beijos, tosse, espirro ou compartilhamento de itens pessoais, como copos e talheres. Por isso, o convívio próximo com pessoas em ambientes fechados e mal arejados facilita a transmissão da doença.

Prevenção

Existem várias vacinas que combatem os vários tipos de meningite. A vacina anti Haemophilus Influenzae Tipo B e as vacinas pneumocócicas conjugadas previnem algumas das bactérias citadas anteriormente, mas para as meningites meningocócicas temos atualmente três vacinas:

  • Vacina meningocócica C conjugada: previne contra o meningococo C e é encontrada na rede pública de saúde apenas para crianças de 3 meses a menores de 5 anos de idade;
  • Vacina meningocócica B: protege contra a meningite mais comum em crianças de até 5 anos e só pode ser encontrada em serviços particulares de vacinação;
  • Vacina meningocócica Conjugada Quadrivalente (ACWY): previne contra quatro sorogrupos do meningococo e é encontrada nas Unidades Básicas de Saúde apenas para adolescentes de 11 e 12 anos e nos serviços de vacinação particular aonde pode administrada a partir de 2 meses de vida;

Por oferecer uma proteção mais completa aos diversos sorogrupos de meningite, as vacinas anti meningite B e anti meningite ACWY são recomendadas  pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pela Sociedade Brasileira de Imunizações.

Doses

A recomendação de doses e reforços varia de acordo com a idade:

Em crianças, a vacina para meningite C e ACWY deve ser aplicada em duas doses no primeiro ano de vida: aos 3 e 5 meses. O reforço deve acontecer aos 12 meses, 5 anos e 11 anos de idade. A vacina para meningite B deve ser tomada também aos 3 e 5 meses de vida, com reforço entre os 12 e 15 meses.

Em adolescentes que nunca receberam a vacina antes, são indicadas duas doses da vacina ACWY ou C com intervalo de 5 anos entre elas. A vacina para meningite B também deve ser tomada em duas doses, mas com intervalo de apenas 1 mês entre elas.

Já em adultos, o ideal é uma aplicação única da vacina C ou ACWY, mas a vacina para meningite B deve ser tomada em duas doses, com intervalo de 1 mês entre elas. Saiba mais sobre meningite meningocócica em adultos em nosso artigo sobre o assunto:

Todas as vacinas citadas neste artigo são certificadas e recomendadas pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e estão disponíveis na Imunocamp.

Fontes: Correio Braziliense, Revista Saúde, Portal Terra, Relatório epidemiológico do Ministério da Saúde e Família SBIm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *