Como prevenir a pneumonia e não ser um dos 3 milhões de casos por ano

Tempo de leitura: 5 minutos

Você sabia que a pneumonia pode evoluir para óbito? É isso mesmo! São quase 3 milhões de casos anuais. Entenda mais lendo nosso post completo

A pneumonia pode evoluir para óbito. Por isso, ela precisa ser levada muito a sério. Para você ter uma ideia, são quase 3 milhões de casos por ano. Estar atento aos métodos de como prevenir a pneumonia é essencial para reduzir os riscos de infecções nos pulmões.

As infecções respiratórias são responsáveis por mais de 1/3 das mortes sem internações hospitalares. Nos países mais pobres, de 10% a 20% das crianças com menos de 5 anos apresentam pneumonia aguda anualmente. A pneumonia pode ser fatal e, no Brasil, é a terceira causa da mortalidade infantil.

A forma mais grave das pneumonias são aquelas em que a bactéria, no caso o pneumococo, circula também no sangue (bacteremia). Esse tipo de infecção ocorre em aproximadamente 20% dos pacientes com pneumonia por pneumococo. A letalidade global desse tipo de pneumonia gira em torno de 20%, podendo nos idosos chegar a 60%.

Você quer entender mais sobre essa doença e como prevenir a pneumonia? Então venha conosco que contaremos tudo abaixo!

como prevenir a pneumonia
No Brasil, a pneumonia é a 3ª causa da mortalidade infantil. Saiba como prevenir suas crianças e resguardar a vida de quem você ama!

Veja quais são os fatores de risco

Mas por que a pneumonia pode matar? Bem, ela pode ser causada por vírus, bactéria, química ou por fungos. Contudo, na maioria dos casos ela é causada pela bactéria pneumococo (Streptococcus pneumoniae).

Ela afeta pessoas de todas as idades, porém, grupos de risco são os mais comuns: crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas. Isso porque o sistema imunológico não é forte o suficiente para impedir a instalação dessa bactéria.

O organismo e as condições do ambiente são os principais fatores que influenciam na sua gravidade. As estações mais frias do ano estão mais propícias para a circulação de vírus, como é o caso da influenza (gripe).

Além disso, quem costuma fumar também é mais suscetível à doença, pois está com o sistema respiratório sujeito a infecções. Pessoas que possuem doenças crônicas, como diabetes e obesos, também têm mais probabilidade de contrair a doença.

A genética também é um fator que pode influenciar: quando o bebe nasce, pode ter predisposição maior a infecções pelo pneumococo, ou outras bactérias e vírus.

Confira a relação do vírus influenza (gripe) com a pneumonia

Você já deve ter ouvido falar na expressão popular “a pneumonia é uma gripe mal curada”. A gripe está sim diretamente relacionada com o surgimento da pneumonia.

Por isso, a melhor maneira de se manter protegido é tomando, anualmente, a vacina contra a gripe, evitando complicações mais graves causadas por bactérias e vírus.

como prevenir a pneumonia
Além de prevenir contra a gripe, as Vacinas Pneumocócicas protegem contra a pneumonia – doença que pode ser fatal!

Veja quais são as vacinas contra as pneumonias que causam a doença invasiva (bacteremia)

Com relação à vacina da pneumonia: crianças, idosos e grupos de risco podem tomar a vacina que protege contra 10, 13 ou 23 sorotipos. Vale ressaltar que existem mais de 100 sorotipos de pneumococo. Em 2000, foram lançadas as vacinas conjugadas, que são, de fato, mais efetivas.

Confira mais informações sobre os dois tipos principais de vacina

  • Vacinas Pneumocócicas Polissacarídicas – 23 valente:

Foram desenvolvidas em 1977, compostas por polissacárides e recomendadas para pacientes de risco, a partir dos 2 anos. Contêm até 23 sorotipos em sua composição.

Aplicação: sob orientação médica, aplicar uma dose única em crianças a partir de 2 anos com reforço após os 5 anos. Para adultos acima de 50 anos é aplicada uma dose e também reforço após 5 anos.

  • Vacinas Pneumocócicas Conjugadas 10 e 13 valente:

Desenvolvidas inicialmente contra 7 sorotipos em 2000, compostas por imunogênico polissacarídico conjugado com componente proteico. São capazes de induzir uma resposta imune potente e duradoura, mesmo em crianças com menos de 2 anos. Contêm até 13 sorotipos em sua composição.

Aplicação: em crianças a partir de 2 meses, aos 2, 4 e 6 meses. Reforço dos 12 aos 15 meses (13 valente). Já para adultos acima de 50 anos, é aplicada uma dose, preferencialmente antes da aplicação da vacina 23 valente. Na rede pública de saúde é fornecida a vacina 10 valente, sendo 2 doses antes de 1 ano (aos 2 e 4 meses) e 1 reforço após 1 ano de vida.

Algumas estratégias de como prevenir a pneumonia

Manter o calendário de vacinação em dia é a maneira mais eficaz de se proteger contra a pneumonia. Contudo, existem algumas maneiras secundárias, tais como:

  • Amamentação: o leite materno previne infecções nos bebês;
  • Não fumar;
  • Evitar ter lareiras e fornos dentro de casa para não inalar fumaça com frequência;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Evitar ar-condicionado;
  • Ter uma alimentação saudável;
  • Praticar esportes;
  • Evitar ambientes mal ventilados e com aglomerações.

A pneumonia pode levar a óbito!

Ficou claro que a pneumonia pode evoluir para óbito, certo? Por isso, conhecer o que é a doença e quais são as maneiras de prevenção é importante para evitar infecções graves nos pulmões.

Com este post você conferiu as estatísticas da doença e que a melhor maneira de se prevenir contra essa doença é mantendo o calendário de vacinação em dia. Você ficou com alguma dúvida quanto às vacinas contra a pneumonia? Entre em contato conosco!

FONTES

www.jornaldepneumologia.com.br

http://revistas.unifoa.edu.br

https://sbim.org.br

www.scielo.br

www.pneumoniatemvacina.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *