Gripe: sintomas, vacinas e diferenças com resfriado e coronavírus!

Tempo de leitura: 7 minutos

como se prevenir da gripe
A gripe é contagiosa e pode matar: por isso, nunca deixe de se vacinar!


Entra ano e sai ano, é sempre a mesma coisa: basta o tempo ficar um pouco mais frio para a gripe começar a dar as caras. A doença é sazonal e está entre as viroses mais frequentes do mundo. Para quem tem a saúde em dia, pode significar só alguns dias de febre e dor no corpo, mas para crianças, idosos, gestantes e pessoas com baixa imunidade, pode ser letal. Para uma doença com prevenção fácil e vacina, os números de morte são preocupantes: 650 mil pessoas por ano, no mundo todo.

A gripe é uma infecção causada pelo vírus Influenza, que pode ser de três tipos: Influenza A, B ou C. Os vírus do tipo A recebem nomes como A(H1N1), A(H3N2) e A(H7N9), sendo que os dois primeiros são os mais comuns atualmente. Eles também infectam animais e estão sempre se modificando um pouquinho – o suficiente para enganar os anticorpos. Quando eles se misturam com os vírus de humanos, origina-se um novo tipo. Foi o que possibilitou a pandemia de “gripe suína”, causada pelo vírus A(H1N1).

Já os vírus tipo B se hospedam apenas em humanos e são classificados como de linhagem Victoria e linhagem Yamagata. Ele também é altamente transmissível, mas está mais relacionado a epidemias (transmissão em vários estados e alguns países) do que pandemias (transmissão pelo mundo inteiro). O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias.

Fatores de risco e complicações

  • Crianças menores de 5 anos;
  • Idosos acima dos 65 anos;
  • Gestantes;
  • Pessoas com imunidade comprometida;
  • Pessoas com doenças crônicas (asma, diabetes e as que afetam o coração ou rins);
  • Obesos com Índice de Massa Corpórea (IMC) 40 ou maior.

Enquanto os sintomas da gripe dura entre cinco e dez dias nas pessoas saudáveis, as pessoas que se enquadram nos fatores acima, consideradas “grupo de risco”, podem ter complicações da doença. Entre elas:

  • Pneumonia bacteriana: é a complicação mais frequente e também a principal causa de morte em decorrência da gripe, pois ela facilita a infecção pelo pneumococo;
  • Pneumonia viral: causada pelo próprio vírus Influenza, mas é mais raro;
  • Acometimento dos músculos (miosite) ou do sistema nervoso (encefalite ou polirradiculoneurite);
  • Síndrome de Reye: causa confusão mental, inchaço no cérebro e danos ao fígado, aparece principalmente quando o tratamento é feito com aspirina;

Sintomas e Transmissão

Cof-Cof… Aaaaatchim… Lá se vão milhares de gotículas de saliva no ar durante uma simples tosse ou espirro. Com elas seguem também o vírus da gripe (Influenza e seus diversos tipos). Dessa forma eles “viajam” por aí, se “acomodam” nas superfícies de objetos e passam de uma pessoa para outra quando atingem as mucosas da boca, nariz e olhos. 

Depois de instalar-se no sistema respiratório, o vírus começa a se reproduzir e a pessoa infectada demora entre 3 e 4 dias para manifestar os sintomas da gripe provocados pela multiplicação dos vírus e pela resposta inflamatória que induzem. Entre os sintomas estão:

  • Febre acima de 38ºC.
  • Músculos doloridos, especialmente nas costas, braços e pernas.
  • Calafrios e suores.
  • Dor de cabeça.
  • Tosse seca e persistente.
  • Fadiga e fraqueza.
  • Coriza.
  • Dor de garganta.

O período de transmissão da gripe começa 24 horas antes dos sintomas e dura de cinco a dez dias após o seu surgimento. Em crianças e pessoas com imunidade comprometida esse período dura até mais de dez dias.

Prevenção e vacina

Vacina gripe quadrivalente!

Para se prevenir, é bom seguir as recomendações de sempre: cobrir as mãos para tossir ou espirrar – e lavá-las em seguida! Usar lenços descartáveis ao assoar o nariz, evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal, como talheres e copos, evitar lugares com grandes aglomerações e manter os locais bem ventilados, mas isso pode ser difícil de fazer em épocas típicas de gripe: inverno e períodos de temperaturas baixas. No Brasil, costuma ser entre abril e outubro.

Por isso a prevenção com as vacinas é tão importante! Até porque, como o Influenza é um vírus extremamente mutável, todo ano ele se modifica um pouquinho e costuma aparecer novamente. Atualmente, existem dois tipos de vacinas antigripe.

  • A TRIVALENTE previne contra dois tipos de Influenza A (H1N1 e H3N2) e um tipo de Influenza B; Pode ser encontrada na rede pública de saúde para grupos prioritários (crianças até 6 anos, gestantes, idosos e pessoas com doenças crônicas) ou na rede privada sem restrição de idade;
  • A QUADRIVALENTE previne contra o A-H1N1 e A-H3N2 e também contra dois tipos da Influenza B (Victoria e Yamagata), que dependem do vírus circulante no ano anterior; Encontrada em clínicas particulares sem restrições de idade.

A vacina pode ser tomada a partir dos primeiros 6 meses de vida, no seguinte esquema de doses:

  • Entre 6 meses e 9 anos: duas doses na primeira vez em que forem vacinadas (primovacinação), com intervalo de um mês e revacinação anual.
  • Para crianças maiores de 9 anos, adolescentes, adultos e idosos: dose única anual.

Gripe x Resfriado x Coronavírus

Você deve ter notado que a gripe é transmitida da mesma forma que outras doenças respiratórias, como resfriados e o coronavírus. A transmissão deste último foi recentemente considerado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde, e vêm causando pânico na população de todo o planeta. Para evitar o desespero, é necessário conhecer bem os sintomas e ficar atento. Veja a tabela abaixo e saiba diferenciar as doenças:

SINTOMARESFRIADOGRIPECOVID-19
Vírus causadorrinovírus, parainfluenza e vírus sincicial respiratório (VSR)Influenza A, B ou CSARs-Cov-2
FebreRaro e leveComum e altaComum e alta
TosseÀs vezes, suaveComum tosse secaComum tosse seca
FadigaÀs vezesComumComum
Dificuldade de respirarNãoÀs vezesÀs vezes
Dor de cabeçaRaroComumMenos comum
Dor no corpoÀs vezes, suaveComum, intensaMenos comum
Dor de gargantaÀs vezesComumMenos comum
CalafriosRaroComumMenos comum
CorizaComumComumÀs vezes
EspirroComumÀs vezesÀs vezes
Complicações comunsNenhuma, costuma passar em três diasPneumonia bacterianaInsuficiência respiratória e pneumonia viral
Vacina disponívelNão necessárioSim, duasNão

De forma geral, podemos ver que enquanto o resfriado é mais leve e costuma atingir apenas as áreas do nariz e da garganta, a gripe e o coronavírus podem ter consequências letais pelo risco que apresentam de chegarem aos pulmões.

A principal forma de diferenciar a gripe do covid-19, além da observação dos sintomas, tem sido um exame que detecta o agente infeccioso pela sua carga genética, a partir de amostras das vias aéreas ou de catarro. Ajuda no diagnóstico também saber se a pessoa com sintomas visitou recentemente uma área de transmissão intensa cerca de 15 dias antes dos sintomas surgirem.

Outra grande diferença que justifica a definição do coronavírus como pandemia é sua alta capacidade de transmissão e letalidade. Enquanto a gripe tem um R0 (número básico de reprodução) estimado de 1,2 – ou seja, cada pessoa pode passar a doença para até 1,2 outras pessoas, em média – o covid-19 tem R0 estimado, até o momento, entre 2,2 e 4, ou seja, cada infectado pelo coronavírus contagia entre duas a três pessoas.

Ele também é mais letal. A gripe mata um paciente infectado a cada mil casos, ou seja, tem taxa de mortalidade de 0,1%. A mortalidade do coronavírus ainda não é confiável, pois não se sabe o número certo de infectados e muitos deles não apresentam sintomas, mas a estimativa atual é que a taxa de mortalidade do covid-19 seja de 2%, ou seja, 20 vezes mais que os vírus da gripe que circulam atualmente.

É importante lembrar que as informações sobre o novo coronavírus são baseadas no momento atual e o vírus vem circulando há apenas dois meses, ou seja, ainda se conhece pouco sobre o problema e novas informações podem ser descobertas.

Fontes: SBIm, Drauzio Varella, Ministério da saúde, Época, Superinteressante e BBC Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *